Este blog, fiz com muito carinho, para fazer homenagem aos meus amigos poetas, e também outras mensagens de otimismo, humor e reflexão, espero que gostem.

7 de jun de 2012

Tenho tanto sentimento



Tenho tanto sentimento Que é freqüente persuadir-me De que sou sentimental, Mas reconheço, ao medir-me, Que tudo isso é pensamento, Que não senti afinal. Temos, todos que vivemos, Uma vida que é vivida E outra vida que é pensada, E a única vida que temos É essa que é dividida Entre a verdadeira e a errada. Qual porém é a verdadeira E qual errada, ninguém Nos saberá explicar; E vivemos de maneira Que a vida que a gente tem É a que tem que pensar.

Fernando Pessoa

 Barrinha MaynaBaby

24 de fev de 2012

A DANÇA


Fito o infinito do infinito da luz
Percorro com olhares indiscretos
A nudez do tempo inexato e vasto.
Então! Cuido desse universo deserto.

Seminua escolho o som do vento.
Embriago-me de teu néctar azul.
Cheiro a flor de jasmim - do seu jardim.
Danço contornando seu corpo exato.

Uso as pernas como coreografias silentes.
Parada eu faço uma dança sensual lilás.
Mas o que me apraz mesmo é te olhar.
Olhar-te sem receios, olhar-te sem pudor.

Enquanto dou voltas sigo seu desejo
Desejo-te sem pressa, sem hora marcada
Danço com o infinito, o infinito da luz.
A dança que faço para você agora.

Soraia
Barrinha MaynaBaby

UMA FANTASIA REAL

Estou retornando e hoje posto uma poesia de Soraia Santiago, bjus amiga.




Mergulho fundo nas suas músicas certas.

Velejo em tuas palavras frias e obsoletas.
Esfrio ao te ver olhando para ela, aquela.
E assim me vejo em plena roda viva.

Um vilão fantasiado de cenas surreais.
Alguém me disse que você é bem real.
Mas é inevitável sentir que não o vejo.
Mesmo assim desejo-te sem um aval.

Assim vou seguindo teus passos. Passos largos.
Envolvo-te em meus laços vagarosamente.
Uso palavras coloquiais, uso palavras normais.
Visto-me de palhaço e faço-te sorrir levemente.

Conheço as propostas dita a elas. Não sinceras.
Prefiro o vento norte na boca do vento.
O meu amor por você vai se tornando forte.
Mas temo a morte, essa que vai me levar.

Tento de todas as maneiras não te perceber,
A sorte torna-me escrava, vejo-te imparcial.
E percorro o tempo só para te encontrar.
As horas passam sem sentido. Tempo crucial.

Soraia

Barrinha MaynaBaby